carregando...

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

27 de dezembro de 2021

ASCOM GABINETE SEMUSA

Ação na Energisa encerra programação do Dezembro Vermelho

Foram realizados cerca de 150 testes rápidos para HIV, sífilis e as hepatites

A Prefeitura de Ji-Paraná, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Semusa), realizou ação com funcionários da Energisa, no encerramento da Campanha Dezembro Vermelho, mês mundial de combate ao vírus HIV.

Durante a ação, foram realizados cerca de 150 testes rápidos para detecção de HIV, sífilis e as hepatites B e C, além de orientações sobre os meios de prevenção das infecções sexualmente transmissíveis (ISTs).

A Energisa em Ji-Paraná tem cerca de 80 funcionários, sendo que boa parte deles participou do atendimento oferecido pela Semusa. O restante dos colaboradores estava em demanda de trabalho no município.

“Tivemos uma adesão grande dos funcionários da Energisa, que realizaram os testes rápidos e também participaram das orientações sobre as ISTs. Durante todo mês de dezembro focamos no combate contra o HIV, mas essa luta é travada todos os dias, durante o ano todo”, destacou Alinny Rezende Santos Ferreira, diretora do Departamento em Vigilância em Saúde da Semusa.

A ação realizada com funcionários da Semusa foi promovida em parceria entre a Divisão de Vigilância Epidemiológica, o Serviço de Assistência Especializada em Infecções Sexualmente Transmissíveis (SAE-IST) e o Departamento de Atenção Básica (DAB).

Durante todo o mês, a Semusa promoveu uma série de atividades alusivas ao Dezembro Vermelho, destacando, entre outros assuntos, a importância da prevenção e do tratamento contra o HIV.

“A prevenção deve sempre vir primeiro. Mas, com o tratamento correto, a pessoa com o vírus HIV pode viver uma vida normal e com qualidade, sem que a infecção evolua para a AIDS”, alertou a enfermeira da Divisão de Vigilância Epidemiológica, Márcia Gisele Peixoto Kades.

A AIDS é a doença causada pelo vírus HIV, que pode ser transmitido por contato sexual sem preservativo com pessoa contaminada, transfusão sanguínea ou pelo compartilhamento de objetos perfurocortantes.

Matéria: Marco Bernardi
Fotos: Arquivo Semusa