carregando...

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

1 de outubro de 2021

ASCOM GABINETE SEMUSA

Mutirão do Fila Zero atende mais de 350 pacientes

No total, foram mais de 2 mil procedimentos realizados

A Prefeitura de Ji-Paraná, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Semusa), realizou a avaliação de 352 pacientes, durante os mutirões do Projeto Fila Zero em setembro, para futuras cirurgias eletivas. No total, foram mais de 2 mil procedimentos, entre cadastro, atendimentos com equipes de enfermagem, cardiologia e cirurgiões, regulação e exames laboratoriais.

Os mutirões de avaliação do Projeto Fila Zero foram realizados nos dias 8 e 15 de setembro, no Centro Especializado em Reabilitação (CER III). Os pacientes avaliados em setembro deverão passar pelas consultas de retorno, com atendimento das equipes de recepção, cirurgiões e regulação, antes do início dos procedimentos cirúrgicos, que devem ocorrer em até 30 dias, nos meses de outubro e novembro.

O Projeto Fila Zero foi criado em determinação do Prefeito de Ji-Paraná, Isaú Fonseca (MDB), com a intenção de zerar a demanda dos pacientes que aguardam por cirurgias eletivas no Município. Os procedimentos foram paralisados, em 2020, devido à pandemia de Covid-19.
A intenção, com o Projeto Fila Zero, é intensificar e priorizar os atendimentos eletivos no Hospital Municipal Dr. Claudionor Couto Roriz, que ficaram acumulados devido à paralisação dos procedimentos.

“Estamos fazendo história em Ji-Paraná, foram mais de 2 mil atendimentos realizados apenas em setembro. Agora, esses pacientes vão passar pelos retornos e logo serão operados. Vamos intensificar e priorizar os atendimentos eletivos no Hospital Municipal, para zerarmos essa fila de espera”, afirmou o Prefeito Isaú Fonseca.

As cirurgias foram iniciadas em agosto, quando 127 procedimentos foram realizados no centro cirúrgico do HM. Em setembro, a equipe do Hospital Municipal de Ji-Paraná promoveu 118 intervenções cirúrgicas.

“Nossa expectativa era promover cerca de 200 cirurgias em setembro. Porém, tivemos alguns procedimentos de grande porte, o que aumenta a complexidade, e tivemos que diminuir o quantitativo de intervenções”, detalhou o enfermeiro e coordenador geral das cirurgias eletivas do HM, Willian Mendes Codeço.

Os mutirões de atendimento do Projeto Fila Zero são realizados pela Semusa, por meio do Departamento de Atenção Básica (DAB) e do Departamento de Serviços Especializados (DSE), além de toda equipe do Hospital Municipal e o coordenador médico das cirurgias eletivas, Dr. Hendriw de Souza Ribeiro.

A ordem para realização das cirurgias é realizada de acordo com o tempo de espera e o nível de urgência de cada paciente. A estimativa é que, até o fim de 2021, a fila de espera para procedimentos cirúrgicos seja totalmente zerada.

“A partir do ano que vem, nossa expectativa é que os pacientes aguardem, no máximo 60 dias, para realizar uma cirurgia eletiva. Com o paciente aguardando apenas o prazo dos atendimentos, consultas e a realização de exames pré-operatórios”, explicou Wanessa Oliveira e Silva, titular da Semusa.

Matéria: Marco Bernardi
Fotos: Arquivo Ascom