carregando...

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

5 de agosto de 2021

ASCOM FCJP

Quase R$ 900 mil deverão ser injetados na cultura de Ji-Paraná a partir deste mês

Uma equipe da Superintendência Estadual da Juventude, Cultura, Esporte e Lazer (Sejucel) se reuniu na manhã desta quinta-feira, 05, para expor as ações da Pasta e buscar parcerias com os municípios para a implementação de projetos ligados à cultura, esporte e lazer em Rondônia. Durante o encontro, o presidente da Fundação Cultural de Ji-Paraná, Serginho Alquimia marcou reunião com a equipe da Sejucel e artistas locais para a discussão dos projetos que serão realizados ainda este ano no Município.

O titular da Sejucel, Jobson Bandeira veio acompanhado de Gabriel Barbosa, responsável pela Coordenadoria da Juventude (CJUV) e da coordenadora estadual do Programa do Artesanato Brasileiro (PAB) do Governo Federal. Juntos, buscam alinhar as ações entre municípios e Estado. A ideia, segundo Barbosa, “é de elaborarmos Termos de Cooperação Técnica entre Estado e Municípios para a implementação de ações na área do Esporte, Cultura, Lazer e Juventude”.

 

Recursos liberados

Serginho Alquimia disse que vai aproveitar a presença do superintendente da Sejucel em Ji-Paraná para que ele participe do encontro com artistas e artesãos ji-paranaenses marcado para a noite de hoje, quando serão discutidos os projetos ligados à cultura que serão implementados ainda este ano no Município.

Serginho explicou que o Governo Federal recentemente assinou Projeto de Lei aprovado pela Câmara dos Deputados que prorroga prazos de utilização de recursos repassados para o apoio ao setor cultural previstos na Lei Aldir Blanc. O texto do Projeto permite que os municípios que receberam os recursos no ano passado e não conseguiram utilizá-los em tempo hábil possam fazê-lo até 31 de dezembro deste ano.

Na prática, de acordo com Serginho Alquimia, serão quase R$ 900 mil injetados na área da cultural em Ji-Paraná com início ainda este mês.

“A gestão passada não teve tempo para a utilização dos recursos da Lei Aldir Blanc e os valores permaneceram na conta do Município. Agora que veio a autorização para a utilização destes recursos, precisamos apenas reunir os projetos, analisá-los pela Comissão formada especificamente para isso junto com os artistas e artesãos e começar a implementá-los. Muita gente já deixou seu projeto praticamente pronto em 2020, tanto na área de música, teatro, artesanato, ou seja, todo segmento artístico, incluindo os pontos de cultura”, concluiu Serginho.