carregando...

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

9 de abril de 2022

ASCOM GABINETE SEMUSA

Desabastecimento nacional pode prejudicar estoque de remédios em Ji-Paraná

Laboratórios alegam problemas comerciais para justificar a falta de medicamentos

 

O Conselho Nacional das Secretarias Municipais de Saúde (Conasems) enviou, na semana passada, documento ao ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, alertando sobre as dificuldades que os municípios brasileiros enfrentam para a aquisição de medicamentos injetáveis. O desabastecimento nacional pode, inclusive, prejudicar o estoque da Prefeitura de Ji-Paraná.

Segundo o ofício do Conasems, os municípios estão enfrentando dificuldades na aquisição de medicamentos hospitalares e pré-hospitalares como Dipirona Monoidratada, Ocitocina e Neostigmina. Além do desabastecimento, o documento ainda alerta para o aumento dos preços nos laboratórios que ainda tem estoque dos remédios.

“Esse desabastecimento está sendo enfrentado por diversos municípios em todo o país. Em Ji-Paraná, ainda temos estoque dos medicamentos, porém estamos enfrentando dificuldades para comprar mais remédios”, alertou Wanessa Oliveira e Silva, secretária municipal de Saúde (Semusa).

Para justificar o desabastecimento, os laboratórios alegam motivos comerciais ou que estão fabricando os insumos normalmente, porém não estão conseguindo suprir o mercado, devido à alta demanda nacional.

O Ministério da Saúde também alegou problemas relacionados ao fracasso nos certames para aquisição dos medicamentos, desistência de fornecedores, suspensão das entregas programadas e a prorrogação das entregas por mais 90 dias.

“Estamos nos esforçando, ao máximo, para que a nossa população não seja prejudicada por esse desabastecimento nacional. Por isso, também pedimos ao ministro Marcelo Queiroga, que intervenha junto às indústrias farmacêuticas, para que não faltem esses medicamentos nas unidades de saúde”, afirmou a secretária de Saúde de Ji-Paraná.