carregando...

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

19 de janeiro de 2022

ASCOM GABINETE SEMPLAN SEMUSA

Prefeitura de Ji-Paraná inicia a construção do SAMU

O investimento será de aproximadamente R$ 735 mil

 

Foram iniciadas as obras para construção da Central de Regulação do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), anexa à Unidade de Pronto Atendimento Anna Beatriz Oliveira da Silva (UPA do 2º Distrito).

Atualmente, o município conta apenas com o serviço de remoção de urgência realizado pelas equipes do Corpo de Bombeiros Militar, do Governo de Rondônia. O SAMU irá proporcionar melhores condições de trabalho aos médicos e equipe de enfermagem, além de mais segurança aos pacientes socorridos.

A ordem de serviço para a construção do SAMU foi assinada durante a cerimônia de inauguração da UPA do 2º Distrito, com a presença do Ministro da Saúde, Dr. Marcelo Queiroga, em 21 de dezembro.

“O SAMU é um desejo antigo da população, assim como era a UPA do 2º Distrito. Vamos trabalhar firme para construir e entregar esse grande sonho para nosso município. Os pacientes terão um serviço de qualidade e com segurança”, afirmou o Prefeito de Ji-Paraná, Isaú Fonseca (MDB).

A nova unidade contará com área de estacionamento para ambulâncias, farmácia, sala de repouso, banheiros e vestiários, cozinha e refeitório, sala de regulação e demais setores administrativos.

O investimento será de aproximadamente R$ 475 mil, recurso oriundo do Ministério da Saúde, além de contrapartida do Município, de cerca de R$ 260 mil, para a construção da Central de Regulação do SAMU, além da aquisição de equipamentos de tecnologia e de todo o mobiliário que será usado na unidade.

O SAMU é acionado por meio do telefone de emergência 192 e deve ser chamado em casos de trabalho de parto com risco para mãe ou ao bebê, emergências clínicas e pediátricas, paradas cardíacas, acidentes de trânsito e atropelamentos, mal súbito, hemorragias, queimaduras graves, ataques com arma de fogo ou faca e crises hipertensivas e diabéticas.

Já o telefone dos Bombeiros é o 193, que deve ser discado em casos de afogamento e salvamento, enchentes e inundações, soterramento e desabamento, potenciais suicidas, vazamento de gás, incêndio, acidentes com fratura ou pessoas presas às ferragens, acidentes com produtos tóxicos, engasgamentos, socorro na mata ou em locais de confinamento e captura de animais silvestres.

A equipe do SAMU e o Corpo de Bombeiros podem atuar juntos em casos de capotamento ou engavetamento de veículos, choque elétrico com vítimas inconscientes, grandes catástrofes naturais ou atentados e em acidentes de trânsito de grandes proporções.

Matéria: Marco Bernardi
Fotos: Arquivo Ascom