carregando...

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

9 de abril de 2022

ASCOM GABINETE SEMUSA

Semusa reforça os cuidados contra mosquito da dengue

Agentes trabalham na eliminação de focos do Aedes aegypti

 

O período chuvoso acende o sinal de alerta em Ji-Paraná, pois, além do risco de enchentes, também aumenta o trabalho de prevenção ao Aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue, zika, chikungunya e febre amarela.

Para evitar um possível surto de dengue, em Ji-Paraná, agentes da Divisão de Endemias da Secretaria Municipal de Saúde (Semusa) trabalham na visitação de imóveis comerciais e residenciais para fazer a busca e eliminação de focos do mosquito.

A Prefeitura de Ji-Paraná pede que toda a população também fique atenta aos cuidados para evitar a proliferação do Aedes e, consequentemente, o aumento de casos das doenças transmitidas pelo inseto.

“O mosquito precisa de pouco para se reproduzir. A água parada pode estar em vasos de plantas, cascas de ovos, tampinhas de garrafa, pneus, calhas e outros lugares que acumulam água. Nesses locais, o Aedes se reproduz e pode iniciar um novo foco”, explicou o diretor de Controle da Divisão de Endemias, Salatiel Alves Carneiro.

O diretor também alertou para o período de estiagem, quando as temperaturas são mais altas, fazendo com que o tempo de evolução do mosquito seja mais curto. O ciclo de vida, entre o ovo e a fase adulta do Aedes, costuma ser de 10 a 12 dias, porém, no verão esse tempo pode ser reduzido.

“O período de transformação pode ser ainda menor, dependendo das condições de temperatura e de umidade do local do foco. Não podemos nos descuidar, cada um pode fazer a sua parte, com ações individuais e de execução simples”, afirmou o Salatiel Carneiro.

Em janeiro deste ano, a Divisão de Vigilância Epidemiológica da Semusa realizou 123 testes rápidos de dengue, com 41 diagnósticos positivos. No mês de fevereiro, 429 pessoas fizeram o exame, sendo que 107 destes apontaram positivo para dengue.